Literatura

          O terceiro livro mais vendido do mundo, foi escrito pelo francês Antoine de Saint-Exupéry. Publicado pela primeira vez em 1943, continua sendo um livro muito atual que encanta adultos e crianças com suas profundas mensagens que são verdadeiros ensinamentos sobre amizade,otimismo, simplicidade e amor ao nosso planeta.O pequeno príncipe embarca para o planeta em busca de amigos e descobre os princípios da amizade.


Frases:

"A gente só conhece bem as coisas que cativou - disse a raposa.
- Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma.
Compram tudo já pronto nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos,
os homens não têm mais amigos. Se tu queres um amigo, cativa-me!"

"Se alguém ama uma flor da qual só exista um exemplar em milhões e milhões de estrelas, isso basta para fazê-lo feliz quando as contempla. ele pensa "Minha flor está lá, em algum lugar..." Mas se o carneiro come a flor, é, para ele, como se todas as estrelas se repentinamente se apagassem! E isto não tem importância?"

" Eis o meu segredo. É muito simples:
só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos."

"Tu não és para mim senão uma pessoa inteiramente igual a cem mil outras pessoas. E eu não tenho necessidade de ti. E tu não tens necessidade de mim. Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás pra mim o único no mundo. E eu serei para ti a única no mundo..."

“Talvez esse homem seja mesmo um tolo. No entanto, é menos tolo que o rei, que o vaidoso, que o empresário que o beberrão. Seu trabalho ao menos tem um sentido. Quando acende o lampião, é como se fizesse nascer mais uma estrela, ou uma flor. Quando o apaga, porém, faz adormecer a estrela ou a flor. É um belo trabalho. E, sendo belo, tem sua utilidade.”

“ – Vai ver as rosas. Assim compreenderás que a tua é única no mundo. Tu voltarás para me dizer adeus, e eu te presentearei com um segredo.”

“As estrelas são belas por causa de uma flor que não se pode ver...”


“ – À noite, tu olharas as estrelas. Aquela onde moro é muito pequena para que eu possa te mostrar. É melhor assim. Minha estrela será para ti qualquer uma das estrelas. Assim, gostaria de olhar todas elas... Serão todas suas amigas. E, também, eu lhe darei um presente...”

“ – As pessoas veem estrelas de maneiras diferentes. Para aquelas que viajam, as estrelas são guias. Para outros, elas não passam de pequenas luzes. Para os sábios, elas são problemas. Para o empresário, eram ouro. Mas todas essas estrelas se calam. Tu, porém, terás estrelas como ninguém nunca as teve...”

“ E gosto, à noite, de escutar as estrelas. É como ouvir quinhentos milhões de guizos... Mas eis que acontece uma coisa extraordinária.”





                História da Roda Gigante

A Roda Gigante é conhecida nos países anglo-saxónicos por Ferris Whell, por ter sido concebida pela primeira vez por George Washington Gale Ferris Jr, um construtor de pontes da Pensilvânia em 1893, para a Exposição Mundial Colombiana em Chicago, exposição essa que comemorava os 400 anos da chegada de Cristóvão Colombo ao Novo Mundo. As rodas gigantes eram usualmente encontradas nos parques de diversões e feiras. Desde a inauguração da roda gigante Golden Eye em Londres no ano 2000 é usual encontrar rodas gigantes como atracção isolada nos centros de várias cidades quer a titulo permanente quer ocasional.