segunda-feira, 29 de agosto de 2011

"Poema apaixonante"

"Busquei em rostos e sorrisos,
Procurei em festas e florestas,
Percorri caminhos e trilhas,
E quando pensei que não mais encontraria
A minha alma gêmea a minha felicidade,
Eis que surgiu em minha frente o motivo de
Minha busca; e como uma criança pura e
Inocente me entreguei por completo a você,
Que como um anjo celestial iluminou a minha.



Estrada renovando em mim um novo espírito, ensinando-me a difícil arte do amor; Juntos vivemos todas as emoções possíveis, Crescemos com nossos sentimentos, Compartilhando tristezas e alegrias.

Não Somos apenas mais um casal, mas amigos, Amantes, cúmplices e namorados."

Autor: (Hélio Marques)






"O amor"

É difícil para os indecisos.
É assustador para os medrosos.
Avassalador para os apaixonados!
Mas, os vencedores no amor são os
fortes.
Os que sabem o que querem e querem o que têm!
Sonhar um sonho a dois,
e nunca desistir da busca de ser feliz,
é para poucos!!!


Cecília Meirelles

Dica: Arte e Psicanálise!

Um site muito legal do Facebook!

https://www.facebook.com/arteepsicanalise

domingo, 28 de agosto de 2011

Soneto



 Quem diz que Amor é falso ou enganoso,
ligeiro, ingrato, vão, desconhecido,
Sem falta lhe terá bem merecido
Que lhe seja cruel ou rigoroso.
Amor é brando, é doce e é piedoso;
Quem o contrário diz não seja crido:
Seja por cego e apaixonado tido,
E aos homens e inda aos deuses odioso.
Se males faz Amor, em mi se vêem;
Em mim mostrando todo o seu rigor,
Ao mundo quis mostrar quanto podia.
Mas todas suas iras são de amor;
Todos estes seus males são um bem,
Que eu por todo outro bem não trocaria.



Luís Vaz de Camões presume-se tenha nascido em Lisboa por volta de 1524, de uma família do Norte (Chaves). Viveu algum tempo em Coimbra onde, segundo consta, freqüentou aulas de Humanidades no Mosteiro de Santa Cruz onde tinha um tio padre. Regressou a Lisboa, levando aí uma vida de boemia. Em 1553, depois de ter sido preso devido a uma briga, parte para a Índia. Fixou-se na cidade de Goa onde escreveu, de acordo com seus estudiosos, grande parte da sua obra. Regressa a Portugal em 1569, pobre e doente, conseguindo publicar Os Lusíadas em 1572 graças à influência de alguns amigos junto do rei D. Sebastião. Faleceu em Lisboa no dia 10 de junho de 1580. É considerado o maior poeta português, situando-se a sua obra entre o Classicismo e o Maneirismo. Obras: "Os Lusíadas" (1572), "Rimas" (1595), "El-Rei Seleuco" (1587), "Auto de Filodemo" (1587) e "Anfitriões" (1587).

O soneto ora publicado foi extraído do livro "Inês de Castro e O velho do restelo", de autoria de Sylmara Beletti e Frederico Barbosa, Landy Editora - São Paulo, 2001, pág. 39.

sábado, 20 de agosto de 2011

Para aqueles que gostam de compor, como eu:

Vários são os motivos que levam o músico a tentar compor suas próprias músicas.
Alguns não conseguem encontrar algo, que realmente se identificam. Outros ainda sentem forte necessidade de se expressar através de músicas próprias. Nessas horas até o maior dos músicos treme. É quando você pega seu instrumento, se tranca num canto da casa e se deixa levar pela inspiração que há, proveniente das pequenas coisas. Como um dia cinzento de chuva,ou o brilho de sol nas árvores douradas do outono, ou nas cores que surgem no amanhecer. É  assim simplesmente.
Não há explicação, como uma melodia encontra você. Como as palavras tomam seu pensamento e você se sente só num lugar somente seu, repleto de coisas suas, coisas belas. 

 Nunca tinha composto algo sobre mim, sobre o que pensava, apenas musicas para Deus. Então, há um tempo, encontrei uma melodia e a coloquei num dos meus poemas. Era pra ser mais um poema comum que, com pequenas palavras e cenas da natureza falava sobre o tempo.
Mas então, aquilo levou-me a refletir sobre mim. Encontrei uma ternura imensa quando juntei apenas duas notas no piano, para se transformar num dos melhores momentos de minha vida. A musica  levou-me exatamente a um lugar que é só meu, onde pude encontrar paz e viver uma sensação de ternura inexplicável.






Algumas musicas de minha autoria:


Tempo Propício
Biografia
Poema
Cores e acordes


sexta-feira, 12 de agosto de 2011

MPB Gospel



Uma das novas vozes da MPB Gospel, Susana de Oliveira, com composições próprias lança seu CDgravado em 2009 que ela mesmo o identifica como uma matéria misturada de tons brasileiros diversos. E que mistura gostosa, que som do céu!!

Particularmente amo esse estilo, e se você gosta também, não deixe de conferir e ser abençoado por essesuper lançamento dessa Mineirinha que inspira poesia.
Letra da música “DA FLOR” de Susana de Oliveira.



Tem um jardim no coração
Tem um jardim no meu coração
E ele veio pra passear
no meu jardim
Veio pra derramar da água da vida
Deixa gerar flores, flores
no coração
Deixa gerar flores, flores….
Da flor o fruto
fruto do espírito
que é o amor, a alegria, a paz,
paciência,
delicadeza, bondade, fidelidade,
a humildade, e também,
domínio próprio
Pois contra esses não existe lei
Deixa gerar flores, flores
no coração
Deixa gerar flores, flores….
Agora posso sentir
perfume suave
doce fragrância que vem do alto.














Lua.

"Saber que a lua está no céu, traz pra mim inspiração. É como esquecer de todos os problemas e prolongar um momento único, de paz e ternura. A lua faz crescer a musica que há dentro de mim,ilumina meu coração e leva-me a querer, viajar por muitos lugares,conhecer novas histórias e viver a vida que Deus tem pra mim."

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

sábado, 6 de agosto de 2011

Reflexões

"Sou como livro.Há quem me interprete pela capa. Há quem me entende. Há quem leu e não gostou. Há quem leu e se apaixonou."



segunda-feira, 1 de agosto de 2011

"A bailarina"



                                                   
Esta menina
tão pequenina
quer ser bailarina.
Não conhece nem dó nem ré
mas sabe ficar na ponta do pé.
Não conhece nem mi nem fá
Mas inclina o corpo para cá e para lá.
—–
Não conhece nem lá nem si,
mas fecha os olhos e sorri.
—-
Roda, roda, roda, com os bracinhos no ar
e não fica tonta nem sai do lugar.
—-
Põe no cabelo uma estrela e um véu
e diz que caiu do céu.
—-
Esta menina
tão pequenina
quer ser bailarina.
—-
Mas depois esquece todas as danças,
e também quer dormir como as outras crianças.

Cecília Meireles

"Sentir é preciso..."









Eu tenho saudades de tudo que marcou a minha vida . Quando vejo retratos, quando sinto cheiros, quando escuto uma voz, quando me lembro do passado, eu sinto saudades.
Sinto saudades de amigos que nunca mais vi, de pessoas com quem não mais falei ou cruzei. Sinto saudades da minha infância, do meu primeiro amor.
Sinto saudades de quem me deixou e de quem eu deixei, de quem disse que viria e nem apareceu, de quem apareceu correndo, sem me conhecer direito, de quem nunca vou ter a oportunidade de conhecer.
Sinto saudades dos que se foram e de quem não me despedi direito, daqueles que não tiveram como me dizer adeus, de gente que passou na calçada contrária da minha vida e que só enxerguei de vislumbre, de coisas que eu tive e de outras que não tive mas quis muito ter, de coisas que nem sei que existiram mas que se soubesse, decerto gostaria de experimentar.
Sinto saudades de coisas sérias, de coisas hilariantes, de casos, de experiências. Sinto saudades do cachorrinho que eu tive um dia e que me amava fielmente, como só os cães são capazes de fazer, dos livros que li e que me fizeram viajar, dos discos que ouvi e que me fizeram sonhar, das coisas que vivi e das que deixei passar, sem curtir na totalidade.
Quantas vezes tenho vontade de encontrar não sei o que, não sei aonde, para resgatar alguma coisa que nem sei o que é e nem onde perdi.
Saudade é a prova fiel de que somos sensíveis, de que amamos muito o que tivemos e lamentamos as coisas boas que perdemos ao longo da nossa existência.
Sentir saudade é sinal de que se está vivo!

Amei!





"Façamos da interrupção um caminho novo.
Da queda um passo de dança,
do medo uma escada,
do sonho uma ponte, da procura um encontro!"


Fernando Sabino

"A vida é colorida e bela..."







SONHA demais e não VIVE
Pensa demais e não FALA
Guarda demais e não CABE
SOFRE demais e não GRITA

AMA demais e não DORME
CHORA demais e não MUDA
ACHA demais e não SABE
MUDA demais e não GOSTA

SORRI de menos e ASSUSTA
Tão INJUSTA
Precisa ABRIR a JANELA
A VIDA é COLORIDA e BELA...

ANDA demais e não PARA
CORRE demais e não CHEGA
SENTE demais e não AMA
GOSTA demais enão DEIXA

DOA demais e não PEDE
LUTA demais e não GANHA
TROCA demais e não SERVE
DORME demais e não SONHA

SORRI de menos e ASSUSTA
Tão INJUSTA...
Precisa ABRIR a JANELA
A VIDA é COLORIDA e BELA..

PEDRO MARIANO.

Viver...









Já perdoei erros quase imperdoáveis, tentei substituir pessoas insubstituíveis e esquecer pessoas inesquecíveis; já fiz coisas por impulso, já me decepcionei com pessoas quando nunca pensei me decepcionar, mas também decepcionei alguém; Já abracei pra proteger, já dei risada quando não podia, fiz amigos eternos, amei e fui amada, mas também fui rejeitada, fui amada e não amei; Já gritei e pulei de felicidade, já vivi de amor e fiz juras eternas, quebrei a cara muitas vezes!! ; Já chorei ouvindo música e vendo fotos, já liguei só pra escutar uma voz, me apaixonei por um sorriso, já pensei que fosse morrer de tanta saudade, e tive medo de perder alguém especial (e acabei perdendo); Mas vivi e ainda vivo!! Não passo pela vida.. e você também não deveria passar...Viva! abrace a vida com paixão, perda com classe e vença com ousadia, o mundo pertence a quem se atreve e a vida é muito pra ser insignificante..

SAUDADE









SAUDADE: é quando a gente sente uma pessoa dentro da gente; 
aí lembra que gosta dessa pessoa e fica querendo dizer isso a ela, mas às vezes ela está longe e a gente só pode dizer em pensamento, mas a gente diz, e ela escuta mesmo assim.
”Deixe que seus pensamentos levem você até quem você ama."

"Liberdade"





"Busco apoio urgente
Ofusco meus dias indevidamente
Preciso de uma mão estendida
Quero retornar a vida
Ter no coração o amor
Soltar meus ânseios
Curar a dor que veio junto com as perdas
Preciso urgente ser feliz
Esquecer a cicatriz e viver nova história
Fazer minha hora
Vem me socorrer
Sozinha sou insuficiênte
Preciso de alguém
Uma mão estendida
Que me traga de volta a vida
Vem ser minha fonte perene
O bem que serene esse meu desalento
Vem traz para mim o talento
Da felicidade sem fim."



Autor Desconhecido